Ministério do Meio Ambiente cria programa para resgatar animais silvestres

Animais silvestres em situação de risco e vulnerabilidade vão ser resgatados e receberão atendimento e assistência para viverem seguros em seus habitats. A medida faz parte do Programa Nacional de Resgate de Fauna Silvestre, o Resgate+, criado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e será implementado nos seis biomas do país: Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal.

O atendimento emergencial desses animais será feito por médico veterinário. Depois do atendimento, eles devem ser reintegrados ao seu habitat natural.

O programa será coordenado pela Secretaria de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente, que vai buscar parcerias com outros órgãos governamentais, o setor privado e a sociedade civil.

Além do atendimento aos animais, o Programa Resgate+ pretende diminuir a perda de biodiversidade decorrente de causas naturais extremas ou acidentes ambientais causados por ação humana. “Grandes acidentes, grandes incêndios florestais, queimadas, atropelamentos de rodovias. Nós temos vários eventos, naturais ou não, que acontecem e acometem a flora silvestre e esses animais precisam ser cuidados”, ressalta o secretário-adjunto de Biodiversidade, Olivaldi Azevedo.

Uma das iniciativas do programa é a inauguração do primeiro Hospital Veterinário de Campanha, no próximo dia 22 de outubro, para tratar animais atingidos por incêndios no Pantanal e por atropelamentos na BR 262, no Mato Grosso do Sul. O hospital está sendo instalado em Corumbá em parceria entre o MMA, o Governo do Estado do Mato Grosso do Sul e a iniciativa privada.

Outro objetivo é orientar as equipes a dar destinação adequada aos animais atendidos em operações de resgate e assistência. Além disso, o programa também visa coordenar e articular a preparação e a disponibilidade de bases operacionais, estrategicamente localizadas, com pessoas treinadas e equipamento específico para realizar as ações de afugentamento, resgate, salvamento, assistencialismo e recuperação de fauna silvestre em situação de risco e vulnerabilidade.

 

Fonte: Governo do Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *