Nova pesquisa aponta disputa acirrada pela OAB: Rachel tem 49,06% contra 44,94% de Bitto

Nova pesquisa do IPR (Instituto de Pesquisa de Resultado) aponta disputa acirradíssima pelo comando da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil, seccional de Mato Grosso do Sul). A candidata de oposição, Rachel Magrini, da chapa “Um novo Tempo para a OAB/MS), segue na frente, com 49,06%, contra 44, 94% do candidato da situação, Bitto Pereira, da chapa “Mais OAB”.

A candidata Giselle Marques, da chapa “OAB 4.0 – Mudança de Verdade”, segue em terceiro, com 5,99%. Com o início oficial da campanha eleitoral, houve redução do número de indecisos e todos os candidatos oscilaram para cima, conforme o IPR.

Divulgada pelo TopMídiaNews nesta quinta-feira (29), a pesquisa foi registrada na OAB/MS, conforme foto do registro publicado pelo site. O cuidado ocorreu porque a última pesquisa, divulgada pelo Campo Grande News, foi questionada pelo candidato apoiado pelo atual presidente, Mansour Elias Karmouche.

O IPR ouviu 320 advogados entre os dias 26 e 27 deste mês e o nível de confiança do levantamento é de 95%.

Rachel manteve o crescimento iniciado em maio deste ano, quando estava com 31,21%. No início deste mês, a advogada estava com 41,27%. Agora passou para 49,06% e segue com chance de fazer história ao ser tornar a segunda mulher a presidir a Ordem em 30 anos. Desde a criação da entidade, há 40 anos, apenas Elenice Carille Pereira quebrou o tabu e foi eleita para presidir a instituição por dois mandatos no final dos anos 80.

Único homem na disputa e candidato para dar o terceiro mandato ao grupo de Mansour, Bitto também oscilou positivamente, de 35,82% para 44,94%, mas não o suficiente para superar Rachel, conforme o IPR.

O levantamento contraria o Ipems. Conforme pesquisa divulgada pelo Correio do Estado, Bitto lidera com 48,01%, contra 31,5% de Rachel e 7,27% de Giselle. A margem de erro é de 5,28%. O número de indecisos é de 13,26%.

O Ipems ficou marcado na última eleição por ter errado o índice de Rachel Magrini. Em 2018, o instituto apontou que a candidata de oposição teria 12,53%. Abertas as urnas, ela teve 26,56%. O índice ficou além da margem de erro de 6,6 pontos percentuais, porque ela poderia ter tido entre 5,93% e 19,13%.

Agora, o Ipems aponta vitória folgada de Bitto Pereira no dia 19 de novembro deste ano. Cerca de 10 mil dos 15 mil advogados inscritos estão aptos a votar.

 

 

Fonte: O Jacaré

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *