Oficinas tecnológicas são ministradas em escola estadual de Dourados

Campo Grande (MS) –  Estudantes do 2º e 3º anos do Ensino Médio da Escola Estadual Professor Alício Araújo, no município de Dourados, estão tendo oportunidade de participar, desde setembro, de oficinas tecnológicas, ministrada pela professora doutora Valguima Victoria Viana Aguiar Odakura, dos cursos de Engenharia de Computação e Sistemas de Informação, da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

As oficinas estão sendo ministradas pela professora doutora Valguima da UFGD

A ação, coordenada pelo professor Kennedy Silva das disciplinas técnicas, faz parte do projeto que é uma parceria da Escola Estadual Alício Araújo com o grupo Educacional Ponte da UFGD e a Universidade Pompeu Fabra (Espanha).

Ferramenta Colaborativa

Durante as oficinas os estudantes estão aprendendo a utilizar a ferramenta colaborativa para trabalhos em grupos Pyramid App, desenvolvida pela Universidade Pompeu Fabra na Espanha e usada pela primeira vez aqui no Brasil com a escola, em que cada aluno usa um computador de forma individual e interage com os colegas apenas pela ferramenta abordando o tema Pegada Digital.

Oficina ocorre desde setembro na unidade escolar de Dourados

A oficina tem como objetivo promover a reflexão dos estudantes sobre a percepção da imagem corporal ao usar mídias sociais. Este tema é especialmente importante para adolescentes, pois, estando na fase de transição da infância para a vida adulta, acabam sendo mais sensíveis às questões sobre imagem corporal.

Heroínas Digitais

Além desta ação, a convite do professor Kennedy, as alunas do 2º ao 3º ano do ensino médio tiveram uma oficina com a acadêmica Emely Vitória Vasconcelos Albernaz Lopes, criadora do Heroínas Digitais em Dourados a egressa do Curso de Engenharia de Computação da UFGD, para falar sobre equidade de gênero.

Heroínas Digitais é um projeto parceiro do programa Meninas Digitais da Sociedade Brasileiro de Computação (SBC), que visa o empoderamento feminino nas escolas e o acolhimento de meninas na Universidade. Os estudantes o 2 º anos deverão dar continuidade ao projeto no ano de 2022.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *