Suzano é destaque em carteiras ESG da B3

A Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, foi inserida nas carteiras dos três principais índices ESG da B3, a bolsa de valores brasileira. A B3 informou no início deste ano que a Suzano continua entre as empresas que compõem o Índice Carbono Eficiente da B3 (ICO2 B3) e está entre as empresas que integram o recém-lançado Índice Great Place to Work (IGPTW B3). No final de 2021, a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE B3) para 2022 já havia sido revelada, com a presença da Suzano.

A primeira carteira do IGTPW reúne ações de 45 empresas que são certificadas pela Great Place to Work (GPTW). O objetivo do índice, uma parceria entre a B3 e a GPTW, é capturar a geração de resultados positivos das empresas que investem na criação de um bom ambiente de trabalho e que privilegiam as relações pessoais e o desenvolvimento de colaboradores e colaboradoras.

A 12ª edição do ICO2, por sua vez, reúne 67 ações de 64 companhias. O indicador conta com empresas detentoras das 100 ações mais negociadas na bolsa que elaboraram e divulgaram o Inventário de Gases de Efeito Estufa (GEE) e aderiram formalmente à iniciativa, demonstrando o comprometimento com a transparência e a visão para uma economia de baixo carbono.

Já a carteira da ISE, com vigência entre 3 de janeiro e 30 de dezembro de 2022, é composta por ações de 46 companhias. Assim como ocorreu no ICO2, a Suzano repete neste ano a indicação realizada em 2021.

A inclusão da Suzano nesses indicadores é um reconhecimento ao compromisso da empresa em adotar boas práticas ESG, sigla em inglês para questões ambientais, sociais e de governança corporativa.

A sustentabilidade é parte essencial do negócio da Suzano, que se comprometeu publicamente com um conjunto de 15 metas de longo prazo, os chamados “Compromissos para renovar a vida”. Entre elas está o objetivo, anunciado em 2021, de conectar, até 2030, um total de meio milhão de hectares de áreas prioritárias para a preservação nos biomas Cerrado, Mata Atlântica e Amazônia.

Outros destaques são o objetivo da companhia de oferecer 10 milhões de toneladas de produtos de origem renovável, desenvolvidos a partir da biomassa, para substituir plásticos e outros derivados do petróleo, e de contribuir diretamente para que 200 mil pessoas que vivem nas regiões onde atua saiam da linha da pobreza, ambos até 2030, além de remover 40 milhões de toneladas de carbono da atmosfera até 2025.

 

Fonte: imprensa Suzano

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *