• Na próxima segunda-feira (21), Brasilândia realizará uma mobilização em memória à criança Gabriele Magalhães de Souza. A ação é um cumprimento a Lei Municipal nº. 2.886/2021, que instituiu o dia “Gabi Vive”.

    A data foi criada no mesmo dia em que a criança faleceu, sendo um momento de conscientização e alerta para toda a sociedade brasilandense, sobre a necessidade de proteger e defender todas as crianças e adolescentes contra qualquer tipo de abuso ou violência sexual.

    A mobilização será promovida pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Conselho Tutelar e com o apoio da Prefeitura de Brasilândia por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social.

    Além disso, no ano passado, o prédio do CREAS de Brasilândia também recebeu em julho do ano passado, o nome da Gabriele Magalhães de Souza. Recentemente a nova placa de identificação foi fixada, em cumprimento à Lei Municipal 2.893/2021.

    QUEM FOI GABRIELE?
    Gabriele Magalhães de Souza, nascida em 03 de outubro de 2009 e foi assassinada pela própria mãe, em 21 de março de 2020, após ter relatado abuso sexual cometido pelo padrasto.

    Gabriele era vítima de abusos e violações que ocorriam no ambiente familiar sem o conhecimento da rede socioassistencial de proteção, a família chegou a ser acompanhada pelo Conselho Tutelar, CREAS e CRAS.

    Após de contar para a mãe sobre os abusos cometidos pelo padrasto, Gabrielle foi enforcada e enterrada viva pela própria mãe. O fato foi noticiado a nível nacional.

    A ré, confessa, foi julgada no início de 2022 e foi sentenciada a uma pena de 39 anos, 8 meses e 4 dias de reclusão. Ela se encontra privada de liberdade, no Estabelecimento Penal Feminino “Carlos Alberto Jonas Giordano”, município de Corumbá, Mato Grosso do Sul.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *