• O Programa de Monitoramento da Fauna da Suzano encerra o ano de 2021 com quatro registros de avistamentos de onças em áreas florestais da empresa em Mato Grosso do Sul. Ao todo, foram três avistamentos de onças-pintadas (Panthera onca) e um registro de três onças-pardas (Puma concolor) – uma fêmea e dois indivíduos jovens – realizados por armadilhas fotográficas instaladas em áreas de conservação ambiental da empresa ou pelo sistema de monitoramento por câmeras.

    Os avistamentos mais recentes ocorreram no último bimestre de 2021. Com o apoio da Casa da Floresta, empresa especializada que presta serviços de consultoria ambiental para a Suzano no Estado, as equipes realizaram dois registros de onças-pintadas adultas em áreas de conservação ambiental da empresa por meio de armadilhas fotográficas. Como o padrão de pintas é único para cada onça-pintada, assim como nossas digitais, as fotos estão sendo analisadas com cuidado para descobrir se os registros são de indivíduos diferentes ou se é o mesmo animal transitando em diferentes locais.

    “A presença, e permanência, deste predador de topo de cadeia deve ser considerada como um indicativo de qualidade ambiental, pois para que a espécie viva no local é necessário que a área suporte uma base de presas bem estabelecida, ou seja, mantenha os requisitos ambientais necessários para a maior diversidade possível de presas. Deste modo, os registros reforçam a alta qualidade ambiental e importância dessas Áreas de Alto Valor de Conservação para a preservação das espécies”, destaca estudo elaborado pela Casa Florestal.  Por segurança, a Suzano não divulga a região e/ou município em que foram feitos avistamentos e registros de animais silvestres em suas áreas florestais.

    Para Renato Cipriano Rocha, coordenador de Meio Ambiente Florestal da Suzano, a presença de onça-pintada na região atesta as boas práticas de manejo florestal adotada pela companhia em suas operações. “A Suzano é reconhecida nacional e internacionalmente por suas práticas sustentáveis e esses registros de onças-pintadas em nossas áreas vêm para confirmar o nosso compromisso com o desenvolvimento sustentável e o nosso propósito de renovar a vida a partir da árvore. Estamos produzindo matéria-prima para a fabricação da celulose, que é o eucalipto, aliando manejo sustentável e preservação das matas nativas vizinhas às nossas operações, o que garante o retorno, permanência e a reprodução de animais silvestres, muitos deles ameaçados de extinção”, ressalta Rocha. Atualmente, a Suzano destina 136 mil hectares para conservação ambiental em Mato Grosso do Sul.

    Onça-pintada

    Considerada o maior carnívoro da América do Sul e terceiro maior felino do mundo, a presença da onça-pintada atualmente se restringe à 51% da distribuição histórica, a qual se estende do sudoeste dos Estados Unidos até o norte da Argentina.

    No Brasil, ocorre em quase todos os biomas, com exceção dos Pampas. A onça-pintada está na lista de animais silvestres ameaçados de extinção por fatores como perda de habitat, fragmentação, diminuição da base de presa, caça ilegal e retaliação por predação de animais de criação.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *