• A indústria de Mato Grosso do Sul foi responsável pela abertura de 1.317 postos formais de trabalho no mês de janeiro, resultado de 6.712 contratações e 5.395 demissões. Esse foi o maior saldo registrado para o mês desde 2013. Com o resultado, o conjunto das atividades industriais foi responsável por 38% do total de vagas abertas em Mato Grosso do Sul no primeiro mês do ano, ficando atrás somente do setor de Serviços, com 45% do total.

    As atividades industriais que mais abriram vagas no mês de janeiro foram construção de edifícios (+226), abate de aves (+195), fabricação de açúcar (+184), fabricação de máquinas e equipamentos para transporte e elevação de cargas (+132), obras de infraestrutura (+130), coleta de resíduos não perigosos (+52), curtimento e outras preparações de couro (+51), confecção de peças do vestuário (+41), fabricação de estruturas metálicas (+36), fabricação de madeira laminada e de chapas de madeira compensada (+32) e fabricação de alimentos para animais (+32).

    Segundo o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da FIEMS, Ezequiel Resende, o conjunto das atividades industriais em Mato Grosso do Sul encerrou janeiro de 2022 com o total de 134.147 trabalhadores empregados. “Até aqui, houve um aumento de 1% em relação ao fechamento do ano anterior, quando o contingente ficou em 132.830 funcionários”, afirmou.

    A atividade industrial responde por 23,7% de todo o emprego com carteira assinada (CLT) existente em Mato Grosso do Sul, ficando atrás do segmento de Serviços, que emprega 215.220 trabalhadores com participação equivalente a 38%, e Comércio, com 137.721 empregados ou 24,3%.

    Municípios que mais empregaram

    Em relação aos municípios, no mês de janeiro, constata-se que em 47 deles as atividades industriais registraram saldo positivo de contratação, proporcionando a abertura de 1.663 vagas. Entre as cidades com saldo positivo de pelo menos 50 vagas, destacam-se: Três Lagoas (+271), Dourados (+188), Rio Brilhante (+183), Campo Grande (+182), Itaquiraí (+135), Nova Andradina (+84), Ribas do Rio Pardo (+68) e Sidrolândia (+53).

    As atividades que mais contribuíram nos municípios indicados foram: abate de aves (+179), fabricação de açúcar (+178), construção de edifícios (+159), fabricação de máquinas e equipamentos para transporte e elevação de cargas (+132), obras de infraestrutura (+128), coleta de resíduos não perigosos (+59) e curtimento e outras preparações de couro (+41).

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *