• Uma mulher de 36 anos foi agredida por cerca de 17 horas seguidas pelo companheiro e sofreu afundamento do crânio em razão da violência. As agressões ocorreram entre 3h e às 20h, deste sábado (26), na casa onde moravam no bairro Lagoa Dourada, em Campo Grande. A vítima foi salva e o suspeito preso graças a ligações insistentes dos vizinhos à polícia. Eles escutaram o espancamento e os pedidos de socorro.

    Segundo o registro da Polícia Civil, por volta de 3h, uma vizinha viu o homem, de 28 anos, arrastando a mulher pelos cabelos e a agredindo com socos e chutes até chegar a casa onde moravam. Ela acionou a Polícia Militar, mas disse não ter tido resposta.

    A vizinha relatou que continuou ouvindo gritos de socorro por diversas horas e que repetiu a ligação para o 190 da PM, mas não obteve resposta. Sem saber mais o que fazer, por volta das 20h ligou para a Delegacia Especializada em ocorrências de Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros, o Garras.

    Investigadores do Garras foram ao local e quando chegaram encontraram vários vizinhos na rua. Eles informaram que não estavam mais ouvindo gritos de socorro. Os policiais bateram na porta, mas como não tiveram resposta entraram na casa.

    A vítima estava desacordada na cama e o agressor descontrolado. Ele foi algemado e a mulher levada para a unidade de Pronto Atendimento (UPA ) do bairro Tiradentes, em estado grave. Após passar por uma série de exames, como tomografia e raio-x foi constatado o afundamento de crânio.

    Em razão da gravidade dos ferimentos a mulher seria transferida para a Santa Casa de Campo Grande. Familiares disseram que ela convivia com o suspeito há três meses e que no dia 6 de março havia registrado um boletim de ocorrência contra o suspeito da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM).

    A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da Polícia Militar para ter detalhes sobre a reclamação da demora no atendimento, mas até a mais recente atualização da matéria não obteve retorno.

    O caso será investigado pela DEAM. O suspeito deve responder por sequestro e carcere privado, lesão corporal contra mulher.

    Fonte: G1
    
    

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *