• Para marcar o Dia da Saúde e Nutrição, comemorado na última quinta-feira (31), as Escolas Municipais de Água Clara desenvolveram a Semana da Alimentação, uma iniciativa que busca incentivar hábitos saudáveis nas crianças do município.

    Na escola Márcia Cristina Fioratti Javarez – Extensão, foi realizada uma palestra com a nutricionista Anelise Pastori Fini, que abordou a educação alimentar, o dia da saúde e os problemas do consumo constante de alimentos ultraprocessados. Ela ainda reforçou a importância dessas ações a longo prazo, já que a conscientização gera uma reação em cadeia, pois a informação também chega às famílias das crianças.

    “O consumo alimentar adequado necessita de cuidados desde a infância, pois se refletirá na adolescência e na vida adulta. A utilização de diferentes tipos de recursos pedagógicos e materiais educativos auxiliam na conscientização das crianças, que também levarão essas informações para seus familiares”, afirmou Anelise.

    A EMEI – Irmã Olga Salim Dualib, montou uma mesa com frutas para incentivar o consumo de alimentos saudáveis, e os professores explicaram sobre alimentação aos alunos.

    Já a EMEI – Renato Riveira, planejou ações com as crianças com músicas lúdicas, bolo de melancia, aventais e toucas de cozinheiros e formatos diferenciados para comer frutas, incentivando o consumo e a conscientização.
    Nesta semana o cronograma de atividades segue na Escola Municipal Luciano Silvério de Oliveira.

    Alimentação no município

    A alimentação das escolas municipais segue o PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar) que visa garantir um cardápio saudável aos alunos de todas as etapas da educação básica pública. Com as novas normas do programa, a alimentação no município aumentou a oferta de alimentos naturais e restringiu produtos ultraprocessados, garantindo uma alimentação segura e saudável para os alunos.

    As mudanças no cardápio do ensino municipal seguem a Resolução 6 do PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), que prevê em seu artigo 18:

    “§ 7º É proibida a oferta de gorduras trans industrializadas em todos os cardápios.
    § 8º É proibida a oferta de alimentos ultraprocessados e a adição de açúcar, mel e adoçante nas preparações culinárias e bebidas para as crianças até três anos de idade, conforme orientações do FNDE”.

    De acordo com as novas orientações o cardápio escolar deve buscar “a formação de práticas alimentares saudáveis dos alunos, por meio de ações de educação alimentar”, e assim garantir uma formação saudável e completa para as crianças.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *