• Segurança à saúde pública e foco no bem-estar animal. Pensando nisso, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), passará a realizar inserção de chip de identificação eletrônica de forma gratuita em cães e gatos atendidos no Castramóvel.

    Conforme a coordenação do serviço, todo animal que for atendido pelo Castramóvel receberá um microchip que é colocado debaixo da pele e que permite identificar o animal, pois o minúsculo dispositivo armazena um código numérico identificador único, como se fosse um RG do animal. Além disso, a leitura do chip é universal, isto quer dizer que em qualquer lugar do mundo poderá identificar seu animal, APESAR DE NÃO SE TRATAR DE UM RASTREADOR.

    O serviço gratuito será ofertado apenas em novos cães e gatos – lembrando que por ora o serviço atender apenas machos – e registra todos os dados do animal, como: endereço, telefone, características, doenças existentes e medicações.

    O veterinário da SMS, Hugo Nogueira, explica que esse chip garante a tutela do animal, por isso, se ele for perdido, qualquer clínica veterinária poderá usar uma leitora e identificar o pet, garantindo a segurança dele até o tutor poder ir buscá-lo. Além disso, o animal ganha uma etiqueta (tag) para ser colocada na coleira que contém um QR Code (código de barras) único que permite acessar as informações por meio da leitura com a câmera do celular.

    A secretária da pasta, Elaine Fúrio, destacou que “em casos de roubo ou desaparecimento, também poderá garantir que o animal que tem um tutor, seja ‘resgatado’, pois somente ele (tutor) poderá fazer a transferência de posse. O uso em viagens é muito necessário, pois diversos países não aceitam migração do Brasil de animais que não sejam microchipados”, disse.

    Além disso, essa ação se baseia no cumprimento da Lei nº 2.990 de 10 de maio de 2005, que exige a sistematização da posse responsável de cães e gatos no Estado de Mato Grosso do Sul.

    COMO É O PROCEDIMENTO

    O microchip tem um tamanho de um grão de arroz e a capsula contendo o item é implantado sob a pele do animal através de um implantador, que se trata de uma agulha especial um pouco mais grossa e que permite a inserção do chip sob a pele.

    Alessandra Fernanda e Mauro Diniz junto ao seu pet Bob.
    O coordenador do CCZ, Everton Otoni, enfatiza que “a implantação não causa dor no animal. Mesmo assim, o chip é colocado ao final da castração, pois aproveitamos a anestesia do procedimento evitando, ainda mais, que o animal sinta qualquer desconforto.”

    PRIMEIRO ANIMAL ATENDIDO

    Como forma de teste, a SMS e o CCZ realizaram a microchipagem de um animal que recebeu atendimento no Castramóvel. Se trata do Bob, que é um cachorrinho de 03 anos de idade. O tutor, Mauro Diniz, técnico em teatro de 38 anos, diz que o serviço é rápido e garante ainda mais proteção e segurança ao seu amigo.

    “Fomos muito bem atendidos no Castramóvel, pessoal capacitado e que sabe esclarecer todas as dúvidas, além de muito solícitos. Mais que isso, fizeram uma pequena entrevista conosco sobre a saúde do animal e já conseguimos aplicar a vacina contra raiva no Bob. Super recomendo, ainda mais agora com essa opção de microchipar o pet”, disse o tutor.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *