• Balanço divulgado nesta segunda-feira (25) pelo Batalhão de Polícia Militar Rodoviária (BPMRv), mostra que houve redução de 75% no número de vítimas fatais durante a Operação Tiradentes 2022, que começou no último dia 19 e encerrou hoje, em comparação com a ação realizada no ano passado.

    Conforme a Polícia Militar Rodoviária, o número de mortes caiu de quatro para um. Foram atendidos 11 acidentes, recolhidas 2 carteiras nacionais de habilitação e flagradas 2 pessoas conduzindo veículos sob influência de álcool. Ao todo foram contabilizadas 551 infrações de trânsito.

    As principais infrações de trânsito flagradas durante a fiscalização foram conduzir veículo sem carteira nacional de habilitação, falta de cinto de segurança, veículos com defeitos no sistema de iluminação ou lâmpadas queimadas, deixar de manter acesa a luz baixa dos faróis, conduzir veículo em mau estado de conservação comprometendo a segurança.

    Durante a Operação Tiradentes 2022 foram abordados 3.187 veículos e 4.780 pessoas, sendo que 7 delas acabaram sendo conduzidas para delegacias da Polícia Civil.

    Entre as ações desenvolvidas pela Polícia Militar Rodoviária durante o feriado prolongado de Tiradentes, estão o emprego de equipes extras e do planejamento estratégico, com reforço no policiamento em todas as regiões do estado, com atenção redobrada nas rodovias que dão acesso a municípios e áreas com maior fluxo turístico, o que garantiu o aumento da sensação de segurança dos usuários que trafegaram por essas vias.

    Apreensões

    Durante a Operação Tiradentes 2022 houve ainda a apreensão de 3,3 toneladas de maconha, 38 kg de skunk, 1,7 kg de haxixe marroquino e 2.995 pacotes de cigarros contrabandeados e recuperados dois veículos roubados.

    Mesmo com o fim do feriadão, as equipes do Batalhão de Polícia Militar Rodoviária seguem fiscalizando as estradas estaduais que cortam Mato Grosso do Sul, nos postos de fiscalização, bem como com o patrulhamento ostensivo das vias. Para denúncias e informações, ligue 198 e fale com a PMR.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *