• A AGEMS (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos), está atuando constantemente nas ruas fortalecendo as fiscalizações e combatendo o transporte clandestino em Mato Grosso do Sul. Com as ações consolidadas dos fiscais de transporte em conjunto com a Assessoria Militar, o serviço também se tornou eficaz para o transporte interestadual.

    A Agência de Regulação não realiza fiscalizações em transportes interestaduais, mas é suporte em casos específicos. Nesses casos, quando se verifica irregularidades durante as abordagens, os casos são encaminhados aos agentes da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres).

    Para o diretor-presidente da AGEMS, Carlos Alberto de Assis, fiscalizações consolidadas e estratégicas são ferramentas que fazem a diferença para combater o transporte clandestino em qualquer esfera, bem como o apoio da Assessoria Militar, que protege os servidores durante o trabalho.

    Em operação de rotina no município de Aquidauana, os fiscais e a Assessoria Militar da AGEMS flagraram quatro ônibus clandestinos transportando passageiros sem autorização específica e todos foram encaminhados para a equipe da ANTT.

    Intermunicipal

    Na operação realizada simultaneamente em três municípios, Aquidauana, Terenos e Sidrolândia, 82 veículos foram abordados, checados, orientados, sendo dois veículos notificados e apreendidos por realizar transporte de passageiros sem autorização específica, conhecido como falsa carona amiga.

    Perseguição

    O condutor de um dos veículos apreendidos, um Prisma prata, desobedeceu a ordem de parada e quase atropelou um dos fiscais da AGEMS. Foi realizada a perseguição policial com apoio do 10° BPM e o motorista detido no Bairro Aero Rancho e conduzido até a Delegacia de Polícia Civil.

    De acordo com o coronel Waldir Acosta, chefe da Assessoria Militar, o trabalho em conjunto com os fiscais da Agência tem sido eficaz na execução dos serviços.

    “Temos feito o papel de Polícia Ostensiva, buscando dar segurança aos Agentes da AGEMS, bem como para a comunidade, durante as várias abordagens já realizadas em diversas missões em conjunto, com maior intensidade nas fiscalizações eventuais, as programadas e as de monitoramento”, finaliza.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *