• A Seção de Investigações Gerais de Três Lagoas, em ações desenvolvidas no âmbito da Operação Divisas Integradas, prendeu seis pessoas, em cumprimento de mandados de prisão expedidos de Poder Judiciário de Três Lagoas e de Ponta Porã.

    As diligências foram desenvolvidas pelas equipes operacionais e pelos agentes do Núcleo Regional de Inteligência, da Delegacia Regional de Polícia.

    As prisões ocorreram em diversos bairros da cidade, e também na área rural, em uma propriedade às margens do Rio Sucuriu.

    Por volta de 6h, uma equipe da SIG efetuou a primeira prisão, no Bairro Vila Piloto, de um homem, de 41 anos, condenado a sete anos de reclusão, pela prática do crime de tráfico de drogas, na cidade de Ponta Porã.

    Logo em seguida, também na Vila Piloto, os agentes da SIG prenderam outro homem, de 21 anos, condenado há quase de três anos de prisão, pela prática do crime de furto qualificado. Além dessa condenação, o homem preso possui outros antecedentes policiais pelos crimes de roubo e furto.

    As diligências continuaram durante todo o dia, com prisões ocorrendo nos Bairros Vila Nova, Paranapungá e Jardim Roriz.

    Já no final da tarde, a equipe da SIG prendeu um homem, de 49 anos de idade, em razão da prática do crime de posse irregular de arma de fogo. O crime ocorreu no ano de 2019, e o homem estava foragido da Justiça desde então, sendo por isso decretada a sua prisão preventiva. Após investigações e levantamentos da equipe de inteligência, ele foi encontrado em uma propriedade rural, as margens do Rio Sucuriú.

    Todos os presos foram conduzidos a sede da SIG, onde foram dados os cumprimentos aos respectivos mandados de prisão, e os indivíduos submetidos a exame de corpo de delito, e em seguida, foram feitos os devidos encaminhamentos para aguardarem a disposição da Justiça.

    A SIG/TL (Seção de Investigações Gerais de Três Lagoas) solicita a colaboração e apoio de toda população trêslagoense, com informações sobre a prática de crimes e localização de indivíduos foragidos da Justiça, sendo que as denúncias poderão ser realizadas através dos telefones (67) 3929-1173 ou (67) 99226-8210 (WhatsApp). O sigilo e anonimato são assegurados.

    Fonte: PCMS

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *