• O ex-goleiro Bruno teve a prisão decretada por falta de pagamento de pensão alimentícia ao filho Bruninho, que ele teve com Eliza Samudio. Ela desapareceu em 2010 e seu corpo nunca foi encontrado. O mandado foi expedido nesta sexta-feira (27) pelo juiz da 6ª vara de família e sucessões de Mato Grosso do Sul, Alexandre Tsuyoshi Ito.

    Na decisão, o juiz determina o pagamento de, aproximadamente R$ 70 mil referentes a dois salários-mínimos por mês desde janeiro de 2020, em valores atualizados. O magistrado determina que Bruno permaneça preso até que “efetue a quitação de todas as parcelas pendentes ou pelo prazo máximo de 3 meses”, como diz o documento.

    Mesmo preso, o pagamento é considerado necessário, como o juiz explica na decisão. Apenas com a quitação do débito por pensão alimentícia, a prisão pode ser suspensa. O processo referente pensão alimentícia corre na Justiça desde 2012.

    Bruninho, filho do goleiro Bruno Fernandes e de Eliza Samúdio, tem 12 anos. De acordo com a avó materna, o garoto nunca recebeu pensão alimentícia do pai, condenado pelo homicídio triplamente qualificado de sua mãe. O crime tem a mesma idade do filho do casal, e o corpo de Eliza nunca foi encontrado.

    Bruninho tinha quatro meses quando a mãe, com 25 anos na época, desapareceu. Ele chegou a ser sequestrado e mantido em cárcere privado, crimes pelo qual Bruno foi condenado também. Após ser resgatado, a criança foi entregue à avó materna, Sônia Moura, com quem vive desde então em Campo Grande.

    Em abril, o esposo Hernane Silva de Moura, morreu. Antes da morte, Sônia fez uma “vakinha” on-line para conseguir levantar dinheiro. Sônia pedia ajuda para custear os gastos domésticos e manter as despesas do neto Bruninho.

    O ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes das Dores de Souza, inaugurou uma loja de açaí, em fevereiro deste ano, na cidade de São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos do Rio. Na época, ele recepcionou convidados e serviu lanches aos clientes. O goleiro cumpre pena em regime aberto pelo assassinato de Eliza Samudio, ocorrido em 2010.

     

    Fonte: G1

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *