O candidato ao Governo do Estado pela Coligação Trabalhando por um Novo Futuro, Eduardo Riedel (PSDB), comentou sobre a polarização política nas eleições deste ano, e reafirmou seu compromisso com um modelo de gestão que privilegie o desenvolvimento do Mato Grosso do Sul, que, para ele, reflete-se na candidatura do presidente Jair Bolsonaro.

“O Brasil está divido entre dois polos, e eu nunca neguei minha orientação pela reeleição do presidente Bolsonaro. Deixei isso claro e o partido soube entender esse meu posicionamento. Bolsonaro, quando esteve aqui, conversou conosco, apoiou minha candidatura porque entende que o projeto por Mato Grosso do Sul tem essa convergência, tem essa aliança, essa forma de pensar em relação ao projeto nacional para sua reeleição”, afirmou Riedel.

No entanto, Eduardo Riedel deixa claro que não se coloca na campanha em uma disputa para determinar que candidato “é mais bolsonarista”, e sim com a ideia de propor projetos e estratégias que garantam ao Estado um impulso de modernidade com justiça social.

“Há outras candidaturas que se colocam como ‘mais bolsonaristas’. No entanto, eu não estou disputando eleição para ver quem é mais ou menos bolsonarista, estou disputando eleição para governar o Estado de Mato Grosso do Sul. Vou dialogar com toda a sociedade, com todas as vertentes. Não tenho dúvidas da minha opção pela reeleição do presidente Bolsonaro, assim como ele apoia a minha candidatura. Temos uma linha de trabalho, com seriedade, responsabilidade, uma equação que privilegia o desenvolvimento do Mato Grosso do Sul, e é nisso que a gente tem que focar”, esclareceu.

Segundo a pesquisa Nova Ibrape/Campograndenews, divulgada na segunda-feira (22), o presidente Jair Bolsonaro tem 57,58% de aprovação em Mato Grosso do Sul. Entre os ouvidos no levantamento – que conversou com dois mil eleitores em 28 cidades do Estado – 41,46% classificam a administração do presidente como Ótima (18,8%) e Boa (22,66). Outros 16,22% a classificam como Regular Positiva.

Um projeto para o Estado

Eduardo Riedel reforçou o caráter municipalista de seu projeto e reforçou a importância das alianças com os prefeitos. “Acredito muito nas alianças por propósito e por projeto. Se a gente tem apoio da maioria dos prefeitos do Mato Grosso do Sul e de vários vereadores é porque existe um modelo de trabalho que privilegiou investimento nos municípios”, disse.

Segundo ele, o municipalismo é a priorização de investimento nos municípios e políticas públicas onde prefeitos e vereadores detém a maior demanda das decisões. “Cada município tem a sua realidade, não podemos achar que todos são iguais, cada um tem seu estágio de maturidade, de desenvolvimento econômico, sua cultura, seu jeito de fazer as coisas e foi isso que respeitamos”.

Para Tereza Cristina (PP), parceira de Riedel na chapa, e candidata ao Senado, o municipalismo dará a tônica do Governo de Riedel. “Ao longo desse tempo, foram muitos investimentos para que os municípios mudassem de patamar, hoje eles estão em outra condição. Vi a transformação que cada um desses municípios passou nos últimos anos. É natural uma convergência por um projeto muito bem estruturado, que Riedel representa”, afirmou a ex-ministra do presidente Jair Bolsonaro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *