Mato Grosso do Sul avançou muito na última década, mas alguns problemas persistem. São esses gargalos que o candidato a governador Eduardo Riedel (PSDB) quer solucionar em sua gestão, a partir de ações focadas nessas situações e na erradicação delas. Ele explicou suas ideias em mais uma entrevista, concedida nesta sexta-feira (14) em Campo Grande.

Em conversa com o jornalista Rodrigo Nascimento, o Rodrigão, no programa Noticidade da rádio Cidade 97 FM, Riedel frisou que as políticas públicas é que ditam o governo, não existindo questões pessoais incluídas ali, de “A, B ou C”.

“A gestão do Riedel é técnica, com foco nessas ações e no diálogo entre os poderes. Tem que conversar para que tenha êxito nas políticas, seja em educação, saúde, segurança, qualquer área”, explica o candidato a governador durante a entrevista.

Riedel segue sua fala indicando que um dos gargalos é a desigualdade social. “Temos que avançar para terminar com a pobreza que ainda existe. Mato Grosso do Sul tem a quarta menor taxa do Brasil nesse sentido, mas isso ainda não me deixa satisfeito. Por isso, quando coloco o desenvolvimento como prioridade, é porque existe uma parcela que não se beneficia disso e precisa ser incluída nos benefícios que o desenvolvimento traz”.

Questões como o avanço em áreas de infraestrutura e duplicação de estradas foram citadas por ele durante a conversa, mas a ampliação do saneamento básico e de pavimentação nos bairros dos municípios sul-mato-grossense também foram lembrados.

“Falta trazer essa parcela da população mais pobre para usufruir dessas condições que precisamos desenvolver e avançar em nosso Estado”, completa Riedel, que também destacou a importância da campanha eleitoral para consolidar seu nome entre a população, além do apoio irrestrito à candidatura presidencial de Jair Bolsonaro (PL).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *