O Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO), deflagrou, nesta terça-feira (31/1), a segunda fase da Operação “Deviare”, que tem como alvo 15 (quinze) guardas municipais do município de Ponta Porã.

O desdobramento das investigações do GAECO/MPMS, depois da deflagração da Operação Deviare (1ª fase), em 15 de setembro de 2022, a partir do material apreendido, especialmente telefones celulares, revelou um quadro de corrupção sistêmica por parte de guardas municipais de Ponta Porã/MS, que usavam de suas funções públicas para rotineiramente solicitar e auferir vantagens indevidas, na região de fronteira, de pessoas em situação ilegal, sobretudo de pequenos contrabandistas (sacoleiros).

Não raro, os guardas municipais também se apropriavam de cargas irregulares, a exemplo de cigarros e armas.

De acordo com a equipe do GAECO, tal era o descalabro da situação que vários desses guardas municipais integravam um grupo de whatsapp denominado “Laranjas Podres”, por meio do qual se comunicavam e tratavam de ilícitos.

No decorrer dos trabalhos, também foi possível constatar que alguns dos guardas municipais se dedicavam ao tráfico de armas e munições, dos mais variados calibres, naquela região de fronteira.

Na ação de hoje, o GAECO contou com o apoio operacional do Batalhão de Choque no cumprimento de 8 (oito) mandados de prisão preventiva e 17 (dezessete) de busca e apreensão, nos imóveis dos investigados e no quartel da Guarda Municipal.

O nome da operação faz alusão ao ato de desviar (em italiano), já que a investigação do GAECO se iniciou em razão do desvio de armas de fogo e munições por parte de guardas municipais em uma ocorrência de tráfico de drogas em agosto de 2021.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *