A Polícia Civil recebeu denúncia de outras mulheres e pediu a prisão preventiva do homem, de 32 anos, suspeito de estuprar uma digital influencer, de 21, em Três Lagoas. Com o pedido aceito pela Justiça, ele é considerado foragido. O caso ocorreu no dia 13 de fevereiro e a vítima precisou passar por uma reconstrução nas partes íntimas.

Conforme o delegado da DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher), Matheus Palma, chegaram à delegacia outras denúncias de mulheres, que são semelhantes aos atos praticados contra a jovem de 21 anos. Todas estão sendo investigadas. A prisão do suspeito foi pedida a fim de não atrapalhar as investigações.

O homem chegou a usar as redes sociais para negar o crime, afirmando que provaria sua inocência. Contudo, até o momento não se apresentou à polícia.

O crime ocorreu na segunda-feira, 13 de fevereiro, em uma residência no Bairro Setsul, em Três Lagoas. A jovem contou, segundo boletim de ocorrência, que conheceu o homem, supostamente um agente de produção, de 32 anos, por aplicativo de relacionamento. Eles, então, marcaram o encontro na casa do rapaz.

No local, o suspeito forçou a relação sexual e ela pediu para que ele parasse, pois estava sentindo dor. Contudo, o homem continuou e chegou a morder as partes íntimas da garota, que teve lesões graves. Ao sair do local, ela procurou a polícia.

Com muito sangramento, a jovem foi atendida inicialmente na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e depois transferida para o Hospital Auxiliadora, devido à gravidade das lesões. No local, ela passou por cirurgia de reconstrução das partes íntimas.

Nilson Cavalcante, advogado do agente de produção, informou que ainda não recebeu mandado judicial de prisão contra seu cliente. Ele apenas confirmou que recebeu uma intimação para que o homem preste depoimento à polícia.

Outras denúncias

Após divulgação do caso, outras mulheres também relataram abusos. Uma delas foi stalkeada e perseguida pelo suspeito. Já outra contou que sofreu tentativa de estupro pelo mesmo homem em 2014.

Ainda outra mulher contou que chegou a namorar o suspeito, quando tinha 15 anos. “Até hoje carrego traumas e inseguranças por causa dele”, contou.

“Ele é extremamente tóxico, abusivo, louco. Inclusive, no domingo tava me mandando msg pedindo para vir me ver. Totalmente desequilibrado (sic)”, relatou outra vítima que se relacionou com o suspeito.

Uma das mulheres contou que conheceu o suspeito em um site de relacionamentos. “Um dia ele me pegou à força, batia na minha cara, me enforcava”, contou em relato outra vítima, sobre caso ocorrido com ela em 2015.

Por outro lado, o suspeito se manifestou no Facebook, alegando que é inocente. Ele não confirma as agressões e estupro.


Fonte: Com informações do Campo Grande News e Midiamax

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *