A juíza Eucélia Moreira Cassal, da 3ª Vara Criminal de Campo Grande, determinou, em despacho publicado nesta sexta-feira (16), a apreensão do telefone celular do ex-prefeito Marquinhos Trad (PSD). A medida faz parte da investigação pelos crimes de assédio sexual contra o político.

Conforme o despacho, Marquinhos recorreu ao Tribunal de Justiça, mas não conseguiu impedir a perícia no celular. Em outros despachos publicados no Diário da Justiça, a magistrada já tinha determinado a apreensão e limitado a análise das conversas do ex-prefeito com as supostas vítimas dos crimes sexuais.

“Desse modo, intimada a Defesa da presente decisão e decorrido o prazo de cinco dias sem informação da entrega do(s) celular(es), restará caracterizada a recusa em promover a entrega, exercendo o representado o seu direito de não produzir provas contra si mesmo”, pontuou.

Caso a polícia ainda não tenha o telefone, a juíza determinou a expedição do mandado de busca e apreensão. “EXPEÇA-SE MANDADO DE BUSCA E APREENSÃO, devendo a Autoridade Policial observar a cadeia de custódia, conforme determinado nos itens ‘a’ a ‘c’ da decisão de f. 404-406, bem como a extensão e conteúdo da perícia, conforme decisão proferida pelo Tribunal de Justiça à f. 413-422, complementada pela decisão deste Juízo à f. 423-425”, determinou.

O escândalo explodiu durante a campanha eleitoral. Marquinhos brigava pela liderança nas pesquisas, mas acabou ficando em 6º lugar após a abertura das urnas. Ele nega ter assediado as mulheres.

 

Fonte: O Jacaré

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *