Um ataque a tiros no Colégio Estadual Professora Helena Kolody, em Cambé, no norte do Paraná, deixou uma aluna de 16 anos morta e outro estudante com a mesma idade ferido na manhã desta segunda-feira (19).

De acordo com ao Governo do Paraná e a PM (Polícia Militar), o autor do ataque é um ex-aluno de 21 anos. Ele foi detido e encaminhado para Londrina (PR), cidade vizinha a Cambé.

Ainda não há informações sobre a motivação do ataque. O Samu (Serviço Móvel de Atendimento de Urgência) e os bombeiros foram acionados.

De acordo com a Seed (Secretaria de Estado da Educação), a escola tem 632 alunos matriculados, dos ensinos Fundamental e Médio.

Em nota, o Governo do Paraná afirma que o atirador entrou na escola alegando que solicitaria o seu histórico escolar. O governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) decretou luto oficial de três dias e lamentou o episódio.

Em entrevista à rádio CBN, a professora Nara Cordeiro relatou como foi a correria para sair da escola. “Estávamos começando a segunda aula, fazendo chamada, quando ouvimos o barulho dos disparos achando que era bombinha, brincadeira de criança. Os alunos ficaram sem saber o que estava acontecendo, mas, pela movimentação, começaram a correr, porque parece que estava vindo alguém atirando”, disse.

Segundo a professora, rapidamente as ruas da escola foram tomadas pelos estudantes que deixaram a unidade às pressas. “O que eu vi foi um desespero muito grande, alunos saindo pelos arredores da escola desesperados. E eu não sabia o que fazer, se eu voltava para ajudar os alunos que estavam lá [dentro da escola] ou se eu ajudava os meus alunos que estavam aqui.”

Nas redes sociais, políticos do Paraná se manifestaram sobre o episódio. “A violência do brutal ataque em uma escola estadual em Cambé causa indignação e pesar. O assassino foi preso, será julgado e condenado pelo crime bárbaro que cometeu. Como governador e pai a minha solidariedade aos familiares nesse momento de dor tão profunda. Paraná está em luto”, disse o governador Ratinho Junior (PSD).

Os senadores Sergio Moro (União Brasil-PR) e Flávio Arns (PSB-PR) também lamentaram o ataque. “Meu profundo pesar às famílias, alunos e funcionários. Vítimas devem ser lembradas, agressores punidos e esquecidos. Ainda estão sendo apuradas todas as informações sobre o ocorrido, mas deixo aqui minha solidariedade, neste momento de dor”, escreveu Moro.

“Quando uma escola é atacada, todos nós sofremos. Depois do que vivemos no início deste ano e das medidas que foram anunciadas, isso não deveria se repetir. É preciso agir com rigor e atuar de forma mais efetiva na prevenção e proteção das nossas escolas. Minha total solidariedade às famílias das vítimas e à comunidade escolar. Contem com meu apoio irrestrito”, escreveu Arns.

 

Fonte: FolhaPress

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *