A receita com a exportação de produtos industriais alcançou US$ 517,1 milhões de dólares em maio, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems, indicando crescimento de 5% em relação ao mesmo mês de 2022, quando o valor ficou em US$ 490,7 milhões. Esse foi o melhor resultado mensal já registrado em toda a série histórica da exportação de produtos industriais de Mato Grosso do Sul.

Já no acumulado de 2023 a receita total alcançou US$ 2,093 bilhões de dólares, proporcionando crescimento de 8% em relação ao mesmo período de 2022, quando o valor ficou em US$ 1,942 bilhão, resultando na maior receita já alcançada com a exportação de produtos industriais no período de janeiro a maio.

“Quanto à participação relativa, no mês, a indústria respondeu por 45% de toda a receita de exportação de Mato Grosso do Sul. Já no acumulado do ano, a participação está em 48%”, destacou o economista-chefe da Fiems, Ezequiel Resende.

Grupos que apresentaram maior participação nas receitas de exportação

Ainda de acordo com o economista, os segmentos industriais que apresentaram maior participação nas receitas de exportação foram “Celulose e papel”, “Complexo frigorífico” e “Óleos vegetais e demais produtos de sua extração”, respondendo por 79% das exportações no período entre janeiro e maio.

No grupo “Celulose e papel”, a receita com exportações de industrializados alcançou em maio deste ano US$ 138 milhões. Já no acumulado de janeiro a maio, o valor foi de US$ 633,5 milhões. Os principais produtos exportados foram pastas químicas de madeiras e os principais compradores foram China, Estados Unidos, Itália, Holanda e Argentina.

Quanto ao grupo “Complexo frigorífico”, as exportações atingiram em maio US$ 123,7 milhões, enquanto que no acumulado do ano, o valor chegou a US$ 558 milhões. Os principais produtos comercializados foram carnes desossadas congeladas de bovino, pedaços e miudezas congelados de frango, carnes desossadas e refrigeradas de bovino e carne de suíno congelada. Os principais importadores foram China, Estados Unidos, Chile, Japão e Emirados Árabes.

Já com relação ao grupo “Óleos vegetais e demais produtos de sua extração”, a receita com exportações foi de US$ 131,3 milhões e maio e de US$ 457 milhões entre os meses de janeiro e maio. Os principais produtos exportados foram bagaços e resíduos da extração do óleo de soja, farinhas e pellets da extração do óleo de soja, óleo de soja refinado, farelo de milho e óleo de milho bruto. Os principais países compradores foram Holanda, Polônia, Índia, Indonésia e Venezuela.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *