Com o objetivo de promover o tiro esportivo, o deputado estadual Rafael Tavares (foto) protocolou, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, um projeto de lei para criar a Rota Turística do Tiro Desportivo em MS.

De acordo com o projeto, a rota irá abarcar diversos municípios do Estado onde existem clubes de tiro desportivo. Para fazer parte deste itinerário oficial, caso a lei seja aprovada, bastará que a cidade interessada faça o requerimento junto à Secretaria Estadual de Turismo, Esporte, Cultura e Cidadania, apresentando as documentações necessárias.

O projeto prevê que a cidade que se candidatar para a rota deverá ter um certificado de regularidade. O documento deverá comprovar que o local está apto ao exercício da modalidade.

No parágrafo único, a proposta também garante que, se no prazo de 30 dias, o requerimento não for respondido, o local será adicionado na rota de forma automática, sem aviso público ou prévio.

A justificativa apresentada pelo parlamentar é de que a rota seria um novo atrativo turístico para a cidade, gerando emprego e renda, bem como fortalecendo o mercado de armas em MS.

Conforme Tavares, a lei é inspirada na lei existente no Texas, nos Estados Unidos, onde a cultura armamentista é forte e incentivada inclusive por políticas públicas.

O texto apresentado na Casa de Leis aponta que os estandes geram dinheiro porque, além de funcionarem como local para a prática de tiro, ainda podem sediar casamentos ou venderem lembranças de viagem para turistas com temas envolvendo o tema.

“Mais do que um hobby, a atual prática do tiro no Brasil é um estilo de vida. Para esse público pujante de apreciadores de armas, o mercado tem oferecido cada vez mais serviços”, aponta a justificativa do deputado.

Caça de Javalis

Rafael Tavares também figura como um dos autores do projeto de lei que pretende legalizar a caça de javalis em Mato Grosso do Sul.

De acordo com os parlamentares que apresentaram a proposta, MS pode sofrer com uma eventual superpopulação da espécie.

No projeto, não é apresentado qualquer dado concreto que justifique a liberação da caça, apenas cita o Instituto Brasília Ambiental e, de acordo com a instituição, o crescimento descontrolado da população de javalis pode trazer sérios problemas para a fauna e floral de locais onde habitam.

Ambos projetos apresentados na Casa de Leis ainda irão para a votação no plenário e, após isso, também irão passar pelo crivo do governador de MS, Eduardo Riedel (PSDB).

 

Fonte: Correio do Estado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *