Uma moradora de Campo Grande, de 61 anos, que pediu para não ser identificada, foi uma das vítimas de Teodoro Cassiano Cardoso (foto), conhecido como “Fazendeiro do Amor”. A funcionária pública teve o prejuízo de R$ 243 mil ao perder a casa e o carro em um golpe do suspeito, que foi preso na região metropolitana de Curitiba (PR).

De acordo com as investigações, Teodoro se passava por fazendeiro para se aproximar de mulheres. Acreditando nas promessas amorosas, as vítimas transferiram as propriedades para o nome do suspeito ou vendiam para terceiros e davam para ele o dinheiro do negócio, diz a polícia.

Os crimes que ele cometeu ultrapassam prejuízo de R$ 2 milhões para as vítimas. Uma das vítimas do suspeito, que relatou que o homem se apresentou usando nome falso. Segundo ela, Teodoro dizia se relacionar apenas com pessoas influentes.

“Ele se apresentou como Edu, em um barzinho super conhecido e bem frequentado da cidade. Ele disse que trabalhava como corretor de imóveis e proprietário de várias fazendas. No começo era tudo mil maravilhas, levava café na cama, começamos a namorar e ele me prometeu muitas coisas”.

O casal se relacionou por três meses em 2013, quando ele a convenceu de vender a casa e o carro. Após a venda, o homem sumiu com o dinheiro do imóvel e do veículo. O golpe virou motivo de ação no Ministério Público Estadual.

“Meu filho estava fazendo um intercâmbio na época e tínhamos um imóvel sob penhora. Ficamos juntos por três meses em 2013. Alguns amigos desconfiaram dele, mas eu fiquei cega e não acreditava em ninguém. Falsificaram a minha assinatura e tive o prejuízo de R$ 243 mil pela venda da minha casa e carro, tudo que aconteceu parece história de filme”.

Atualmente, a vítima realiza tratamento psicológico e faz um alerta. “É preciso ter muita atenção, ele acabou com a minha vida. Hoje sou uma mulher doente e com muitos gatilhos. Faço esse pedido, mulheres pelo amor de Deus, não existe príncipe encantado”.

Crimes cometidos desde 2005

Teodoro Cassiano Cardoso, o “Fazendeiro do Amor”, possui condenações que passam de 10 anos e 9 meses de prisão em seis processos. Segundo o Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul (TJMS), os crimes são cometidos desde 2005.

Apenas no TJMS, Teodoro foi condenado a 10 anos, 9 meses e 25 dias de prisão em seis processos. Também há um que foi suspenso e outro que está em andamento e deve ser julgado neste mês de setembro.

Prisão anterior

Em junho do ano passado, Teodoro já havia sido preso em Presidente Médici, cidade de Rondônia. Ele era procurado pela Justiça de Campo Grande. Daquela vez, o suspeito apresentou uma documentação falsa e tentou subornar os policiais oferecendo uma propina de R$ 50 mil para ser liberado, segundo a polícia local.

Segundo a Guarda Municipal de São José dos Pinhais, ele saiu da prisão em regime semiaberto, estava com uma tornozeleira eletrônica e deveria se apresentar em Campo Grande, mas rompeu o equipamento e não se apresentou.

Devido a isso, um novo mandado de prisão foi expedido pela Justiça de Campo Grande em 30 de agosto deste ano.

 

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *