Uma mulher de 59 anos morreu na noite de sábado (16), ao dar entrada no hospital Nossa Senhora Auxiliadora, em Três Lagoas. O caso ganhou repercussão nas redes sociais no município, e tem versões diferentes da registrada em Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia, que abriu inquérito para investigar o caso, e do Hospital Auxiliadora. A Secretaria Municipal de Saúde, através do Departamento de Comunicação da Prefeitura, respondeu a um pedido de informação, que também destoa do registrado no BO em relação ao chamado e atendimento do SAMU.

De acordo com as informações do Boletim de Ocorrência e de pessoas que se apresentam como testemunhas do ocorrido, a vítima, Rosania Cândida da Silva, seria cadeirante e havia chegado ao hospital, no Pronto Socorro, solicitando ajuda por estar passando mal.

Ainda segundo o BO, funcionários teriam informado a equipe médica de plantão sobre o caso da mulher, porém, teriam sido informados que a mulher deveria passar pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) primeiro, pois o hospital só atenderia pacientes transferidos da unidade por meio do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Como não conseguiam o atendimento, segundo as informações do BO, ao verem a mulher convulsionando, testemunhas teriam ligado para o SAMU e solicitado apoio urgente. Duas viaturas teriam ido ao local e iniciado atendimento à mulher, e teriam constatado que a mesma estava com parada cardíaca e iniciaram protocolos de reanimação. A narrativa do BO fica estranha pois diz que após esse atendimento feito pela equipe do SAMU, uma médica e uma enfermeira do Hospital Auxiliadora teria solicitado que a mulher fosse levada para dentro do Pronto Socorro do Hospital, mas mesmo com esses atendimentos, Rosania veio a óbito em seguida.

A polícia militar foi chamada e registrou o BO na delegacia de polícia civil, com a versão das testemunhas que acusam o hospital de omissão de socorro. A polícia civil abriu inquérito e investiga o caso como morte a esclarecer.

Nota HNSA

O caso ganhou repercussão nas redes sociais durante o domingo e início desta segunda-feira (18). A reportagem do Expressão MS entrou em contato com a Assessoria de Comunicação do Hospital Auxiliadora para ouvir a versão do hospital sobre o assunto. A nota datada desta segunda-feira, traz informações diferentes das registradas no BO e também a solidariedade do hospital aos familiares da vítima.

De acordo com a nota: “Em nenhum momento a paciente procurou atendimento junto ao Hospital Auxiliadora, antes do ocorrido. O Samu encaminhou a paciente ao hospital no último sábado, o atendimento foi de imediato e a mesma foi diagnosticada com parada cardiorrespiratória. A equipe de plantão realizou todos os procedimentos e recursos para reanimar a paciente, porém, infelizmente ela evoluiu a óbito”.

O Hospital informa também que iniciou uma investigação interna para apurar o ocorrido.

Leia na íntegra a nota enviada para a redação do Expressão MS:

Três Lagoas, 18 de setembro de 2023.

O Hospital Auxiliadora informa:

O Hospital Auxiliadora se solidariza com familiares e amigos da paciente R.C.S que foi encaminhada pelo SAMU na noite do último sábado, 16 de setembro.
Com relação às notícias veiculadas prestamos os seguintes esclarecimentos:

A Direção da Instituição adianta que não procede a afirmação noticiada por alguns veículos de comunicação e pessoas. Em nenhum momento a paciente procurou atendimento junto ao Hospital Auxiliadora, antes do ocorrido.

O SAMU encaminhou a paciente ao hospital no último sábado (16), o atendimento foi de imediato e a mesma foi diagnosticada com parada cardiorrespiratória. A equipe de plantão realizou todos os procedimentos e recursos para reanimar a paciente, porém, infelizmente ela evoluiu a óbito.

Mais uma vez, HNSA segue todos os protocolos de acolhimento e triagem preconizados pelo Ministério da Saúde em seu Pronto Socorro.
O HNSA já iniciou uma apuração interna e irá contribuir no que for preciso juntamente com as autoridades competentes para o total esclarecimento do acontecido.

Secretaria de Saúde

A Secretaria Municipal de Saúde – SMS, respondeu à reportagem do Expressão MS algumas perguntas sobre o caso. Em relação ao atendimento do SAMU à paciente, a SMS informou que “o Serviço de atendimento Móvel de Urgência (SAMU), não foi acionado para atender a referida paciente. O veículo do SAMU estava em ocorrência e, ao ver a paciente, prestou atendimento”.

A nota também diz que procedimento administrativo para apurar o caso já foi instaurado pela SMS. “Diante dos fatos, a SMS já solicitou toda a documentação do caso ao Hospital Nossa Senhora Auxiliadora e está disponível para qualquer outro esclarecimento necessário”, conclui a nota.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *