Um ataque a tiros dentro da Escola Estadual Sapopemba, na zona leste de São Paulo, deixou uma aluna morta e outros três estudantes feridos na manhã desta segunda-feira, 23. A vítima chegou a ser socorrida, mas morreu no hospital. O autor do ataque foi apreendido no local pela polícia e encaminhado para a delegacia. O caso está sob investigação.

Ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) prestaram auxílio na rede de ensino e encaminharam os feridos para o Pronto-Socorro de Sapopemba. De acordo com a Polícia Militar, um dos feridos atendidos não foi atingido pelos disparos, mas se feriu ao tentar fugir do ataque.

Pais dos estudantes também se deslocaram para a unidade, que fica na Rua Senador Nilo Coelho, 690, no Jardim Sapopemba, em busca de informações. Por meio de nota, o governo de São Paulo disse que, neste momento, a prioridade é o atendimento às vítimas e apoio psicológico aos alunos, profissionais da educação e familiares.

A gestão estadual também lamentou profundamente o caso e se solidarizou com as famílias das vítimas do ataque ocorrido na manhã desta segunda-feira na Escola Estadual Sapopemba.

“Durante o ataque a tiros, três alunos foram atingidos. Uma aluna morreu e outros três feridos estão sendo atendidos no Hospital Geral de Sapopemba, sendo um deles que se machucou ao tentar fugir durante o ataque”, acrescentou o governo estadual.

O agressor foi apreendido e encaminhado ao 70ºDP (Sapopemba), assim como a arma usada por ele no atentado. Ainda não há informações se era ou não aluno da escola. A investigação segue em andamento.

“Mais informações sobre o estado de saúde das vítimas e investigação do ataque serão divulgadas em breve”, afirmou o governo estadual.

Por meio das redes sociais, o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), lamentou o terrível ataque e disse que a prioridade é apoiar os estudantes, professores e familiares.

Em março deste ano, um ataque em uma escola da zona oeste da cidade deixou uma professora morta. Um aluno atacou a facadas os colegas na Escola Estadual Thomazia Montoro, na Vila Sônia, e matou uma professora; outras três professoras ficaram feridas. O estudante foi contido e apreendido na oportunidade.

Neste mês, um adolescente de 14 anos morreu esfaqueado após um ataque a uma escola particular em Poços de Caldas, no sul de Minas Gerais. Outras três pessoas ficaram feridas. O autor do ataque, um ex-aluno da instituição, de 14 anos, foi apreendido.

 

Com Estadão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *