As notificações de casos positivos da Covid-19 nas últimas semanas aumentaram consideravelmente em Três Lagoas, assim como a nível estadual e nacional. No município, esse aumento corresponde a 900% em relação a períodos anteriores.

Por conta da atual situação, a Prefeitura de Três Lagoas, por meio do Setor de Vigilância Epidemiológica (VIGEP) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), alerta a população para os cuidados já conhecidos por todos.

A nível nacional, houve um aumento considerável da doença, sendo que nas últimas semanas a média de 11 mil casos, subiu para mais de 30 mil no país. A taxa de óbitos também vem aumentando, já próxima aos 200 casos confirmados pela doença por semana.

Em Mato Grosso do Sul, há algumas semanas a média de notificações foi para 150 novos casos semanais, em face que em períodos anteriores a média era menos de 80 casos semanais. A curva de óbitos nas semanas recentes também aumentou. Nos últimos sete dias, o Estado contabilizou 442 novos casos, e três mortes registradas nas cidades de Campo Grande, Maracajú e Itaquiraí, entre elas está o óbito de um bebê de 09 meses de idade.

O cenário não é diferente em Três Lagoas, enquanto a média no meio do ano era de menos de 10 casos positivos notificados por mês, em outubro chegou a quase 100 notificações, um aumento de 900%. Somente na semana passada foram mais de 30 novos casos registrados. Apesar de não registrar novas mortes desde 15 de setembro, esse aumento nos casos é preocupante.

Vinícius de Jesus Rodrigues, médico da família e comunidade e da Vigilância Epidemiológica (VIGEP), explicou um dos fatores que justificam o aumento é devido a uma nova variante do vírus causador da Covid-19, que aparentemente causa mais casos, de maior gravidade semelhante aos anteriores.

O médico ressalta ainda que a cidade registra novos surtos, principalmente em locais de trabalho. “É sabido que há muitas pessoas gripadas e que muitas não fazem a testagem, o que nos leva a crer que esse número na verdade é bem maior do que o total de notificações que recebemos”, alertou.

SINTOMAS

Os sintomas que nos alertam para possíveis casos de Covid-19 são aqueles já conhecidos: febre, dores no corpo, dor de cabeça, tosse seca, coriza, perda de olfato, perda de paladar, distúrbios gastrointestinais e até mesmo conjuntivite. Nem todos os sintomas ficam presentes concomitantemente, especialmente nas pessoas vacinadas, em quem o quadro tende a ser mais leve. O tempo de isolamento permanece de sete dias a contar do início dos sintomas.

Pessoas com problemas de saúde como diabetes, hipertensão arterial, problemas de coração, rins, fígado, problemas respiratórios, aquelas que tomam imunossupressores, fazem tratamento para câncer, além das gestantes, idosos, menores de 2 anos e obesos, são os que apresentam maiores riscos de complicações. Para elas, é importante que se mantenham afastadas de pessoas gripadas, evitem aglomerações e, quando necessário, usem máscara de proteção facial.

VACINAS SALVAM

As vacinas ainda são a mais efetiva forma de proteção individual e coletiva.  A SMS recomenda fortemente que quem ainda não completou seu esquema vacinal, que o faça, inclusive adolescentes, crianças e bebês, grupos que atingiram baixíssimo índice vacinal. Não houve registros em nosso meio de reações graves à vacina, pelo contrário, vimos reduzir consideravelmente os óbitos e os casos graves entre todas as faixas etárias, sendo que as pessoas ainda não vacinadas ou que não completaram seus esquemas vacinais mantêm-se entre as de maior risco.

Lembrando que as vacinas estão disponíveis em todas as Unidades de Saúde da Família (USF) do Município, de segunda a sexta-feira, conforme horário de cada Unidade. VEJA AQUI A LISTA DAS USFs.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *