Na manhã de ontem (07), a 3ª Delegacia de Polícia de Três Lagoas, por meio de uma operação coordenada, conseguiu recuperar joias avaliadas em R$ 40 mil, que haviam sido furtadas de duas residências distintas no município. Os crimes foram perpetrados por uma mulher identificada como A. R. L. S, de 48 anos, nos dias 30 de outubro e 14 de novembro.

O modus operandi da criminosa consistia em oferecer serviços de faxina, ganhando a confiança das vítimas nos bairros Santos Dumont e Jardim Primaveril para, em seguida, perpetrar os furtos. Após intensas diligências, os investigadores conseguiram localizar e abordar A.R.L. S quando esta se dirigia à rodoviária.

Confrontada pelos policiais, a criminosa confessou os delitos e informou estar prestes a mudar-se para o estado de São Paulo. Entretanto, ela não estava mais de posse das joias e se recusou a cooperar com a polícia, abstendo-se de fornecer informações sobre o destinatário dos objetos furtados.

Continuando as investigações, os agentes identificaram F.A.S, de 27 anos, como sendo o receptor das joias subtraídas das vítimas. Todas as joias foram recuperadas e prontamente devolvidas aos legítimos proprietários, que demonstraram alívio ao reaver seus bens de valor sentimental e financeiro.

A.R.L. S enfrentará as consequências legais pelos crimes de furto qualificado por abuso de confiança, enquanto F.A.S responderá pelo crime de receptação. A atuação célere e eficaz da Polícia Civil foi essencial para a recuperação dos bens subtraídos.

Essa operação é um exemplo contundente da eficácia das forças de segurança em resolver crimes e impedir ocorrências futuras. Destaca-se a importância da colaboração da comunidade, fundamental para o sucesso dessas investigações. Denúncias anônimas podem ser feitas através dos telefones 67 3524 3224 e 67 99204 0244, reforçando o compromisso coletivo com a segurança pública.

A Polícia Civil reitera o apelo à comunidade para permanecer vigilante e participativa, fortalecendo assim o combate ao crime e a preservação da ordem pública.

Para mais informações ou auxílio em casos similares, a população pode contatar as autoridades policiais locais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *