Dados da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) de Mato Grosso do Sul apontam que 2023 teve o menor índice de roubos dos últimos 10 anos.

O comandante-geral da Polícia Militar de MS (PMMS), coronel Renato dos Anjos Garnes, relata que os investimentos na polícia, a integração das forças e as ações de inteligência são responsáveis pelo resultado positivo.

As estatísticas da Sejusp indicam que houve 4.342 registros de roubo até quarta-feira (27), restando apenas quatro dias para o fim do ano, enquanto em 2022 foram 5.011 ocorrências, uma queda de 13,3%.

Em relação a outros anos, o menor número da série histórica da Sejusp foi registrado em 2021, com 4.828 ocorrências do crime. Na época, em virtude da pandemia de Covid-19, a população estava em isolamento social.

O comandante-geral destaca que uma soma de fatores é o que tem levado à melhora nas estatísticas. Entre os fatores citados pelo coronel estão o fortalecimento da radiopatrulha, as viaturas responsáveis pelas rondas, as abordagens e o atendimento à comunidade mais rápidos e amplos, o incremento do serviço de inteligência e os investimentos.

“Somado ao fomento da integração entre as forças de segurança, como a Polícia Civil e as Guardas Municipais, temos obtido uma melhora nos índices de segurança em todo Mato Grosso do Sul”, pontua o coronel.

O comandante do Policiamento Metropolitano, coronel Emerson de Almeida Vicente, informa ainda que a PMMS trabalha em cima de dados estatísticos, e que na região metropolitana, que abrange a Capital e cidades vizinhas, todas as operações de patrulhamento são programadas de acordo com os dados da Sejusp, por meio do Sistema Integrado de Gestão Operacional (Sigo).

“A instituição planeja as suas ações em cima das manchas criminais. Os comandantes usam muito o dado estatístico, que é para saber o que está ocorrendo na cidade, então eu vou dar uma atenção especial aos locais mais críticos, mas também em toda Campo Grande”, esclarece.

Emerson informa ainda que acompanha semanalmente as estatísticas, buscando sempre fazer uma análise para atuar onde há mais necessidade.

Atualmente, estão trabalhando no patrulhamento para a virada do ano, traçando os locais onde ocorrem mais crimes para aumentar o efetivo pontualmente.

Furtos

Enquanto o índice de roubos é o menor da década, o número de furtos segue em um patamar “normal”. Foram registradas 35.997 ocorrências do crime em 2023, uma queda de 8% em relação ao ano passado, quando foram notificados 39.137 furtos no Estado.

*Saiba

O aplicativo lançado pelo governo federal permite o bloqueio do aparelho e da linha telefônica. A trava para os aplicativos bancários deve começar a funcionar a partir do próximo ano. O Celular Seguro está disponível para sistemas Android e iOS.

O comandante-geral da PMMS atribui a diferença de índices à natureza dos crimes. “O roubo depende da ação dolosa e violenta de uma pessoa para subtrair o objeto. Já o furto é a obtenção desse objeto de forma surpresa, escondida ou apoiada em uma distração da vítima”, esclarece.

Mesmo com as diferenças pontuais dos crimes, o coronel afirma que as ações preventivas de segurança têm sido intensificadas para coibir a ação de todos os tipos de delito, por meio de rondas e abordagens, nas quais são procurados objetos furtados, armas e veículos que possam levar aos autores dos crimes.

“Destacamos que até o mês de novembro, por exemplo, tivemos o cumprimento de mais de 3.700 mandados de prisão em aberto, detendo foragidos da lei. Foram recuperados mais de 1.500 veículos que foram roubados ou furtados, além de termos apreendido e retirado de circulação cerca de mil armas de fogo e mais de 900 armas brancas”, informa o comandante-geral da PMMS.

De acordo com os dados, os anos de 2020, com 29.146 ocorrências, e 2021, com 33.510 registros, foram os anos com menores índices de furto na última década. O comandante do Policiamento Metropolitano atribui esse fato à pandemia, na qual as pessoas estavam mais em casa, diminuindo as ocorrências de furtos em residências e nas vias.

Entretanto, o coronel Almeida aponta que o ano de 2023 está com indicadores positivos, em virtude da redução de crimes na Capital, e ressalta que os dados demonstram que o Estado também registrou uma queda no número de furtos, o que deve ser levado em conta.

Celulares

O governo federal lançou, na semana passada, o aplicativo Celular Seguro, que proporciona uma comunicação mais ágil de ocorrências de roubos e furtos de celulares em todo o País.

Na primeira semana, mais de 700 mil pessoas cadastraram o CPF no sistema e 579.883 aparelhos celulares foram cadastrados em todo o País.

Os alertas de bloqueio, que ocorrem quando o celular é roubado, somaram 4.349 ocorrências no Brasil, sendo o estado de São Paulo o líder no ranking de bloqueios, com 1.125 aparelhos bloqueados na primeira semana.

Mato Grosso do Sul foi um dos estados que teve menos bloqueios efetivados, sendo 35 na primeira semana.
O Ministério da Justiça e Segurança Pública pontua que não há números referentes à adesão por estado.

Dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública apontam que Mato Grosso do Sul é o estado com o menor em números de roubo de celular no País, sendo registrados 1.388 em 2022 e 1.228 ocorrências do crime em 2021. Dados de 2023 não foram disponibilizados pela Sejusp até a publicação desta reportagem.

Em relação aos furtos, Mato Grosso do Sul também está entre os últimos colocados, com 3.329 notificações em 2022 e 2.962 em 2021. O estado brasileiro com menor número de furtos foi a Paraíba, com 403 registros no ano passado.

O Anuário Brasileiro de Segurança Pública é feito pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a partir de dados de segurança estaduais.

 

Fonte: Correio do Estado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *