Com menor ICMS do Brasil e condições positivas de negócio, Mato Grosso do Sul se tornou atrativo para novos empreendedores. Esse cenário se tornou realidade no novo polo de celulose do Brasil, que se concentra em Ribas do Rio Pardo, com a construção da fábrica da Suzano.

Elaine Ribeiro montou nova empresa em Ribas do Rio Pardo

Essa nova realidade chamou atenção de Elaine Ribeiro, que em maio de 2021 decidiu abrir seu negócio em Ribas. “Neste período fiquei viúva por causa da covid e na fila da vacina assisti a um vídeo que mostrava a vinda da fábrica para Ribas, aquilo me tocou e entendi que era hora de arriscar. Estava há dez anos fora do mercado de trabalho e senti a necessidade de voltar a trabalhar e empreender”.

Ela morava em Brasilândia, na região de Três Lagoas, e na hora ligou para seu irmão que tinha quase 30 anos de experiência como torneio mecânico. Surgiu então a ideia de abrir um negócio nesta área, que teria muita demanda em função da fábrica. “Liguei para ele, que também tinha pensando no assunto. Em junho ele foi para Ribas, se estabeleceu na cidade, procurou locais para nos instalarmos e nossa empresa foi aberta em dezembro de 2021”.

Junto com seu irmão Lúcio Flávio Ribeiro, eles montaram a Usinagem Ribeiro, uma empresa que faz a confecção de peças para implementos agrícolas, manutenção, além de serviços relacionados a tornearia, solda e alvenaria. “Já tinha a experiência de empresário em loja de roupas e doces em Catanduva, mas agora abrimos um negócio que teria grande demanda na cidade. Também em função da experiência do meu irmão na área”.

Elaine reconhece que estes primeiros anos é de investimento e pouco retorno, mas estão confiantes com o futuro. “Estamos correndo atrás e temos foco onde queremos chegar. Estamos inclusive mudando de local para se instalar no Polo Industrial da cidade e após a mudança vamos começar a contratar. As perspectivas são positivas”.

O “boom” econômico da cidade é uma realidade, ela já sente a diferença do período que chegou. “Este processo de crescimento do município te apresenta grandes desafios, mas estamos se adaptando e sabemos que em breve vai ficar ainda melhor. Percebo este grande movimento de empresas. O boom aqui é real, não está só na promessa ou no papel”.

Empresa foi montada para atender demanda em Ribas do Rio Pardo

Boas condições

Elaine Ribeiro reconhece que as medidas adotadas pelo Estado, como a manutenção do ICMS padrão em 17%, sem aumento de impostos, ajuda e contribui com os empreendedores, que ficaram aliviados com esta decisão do governador Eduardo Riedel.

“Esta decisão do govenador de segurar o aumento de impostos sempre nos ajuda, se tivesse aumentado poderia nos prejudicar. Inclusive já tínhamos ouvido falar que iria aumentar e todos estavam apreensivos. Estamos em um Estado que proporciona boas condições para se empreender, não dificulta a vida do empresário”.

Ribeiro inclusive incentiva novos empreendedores a abrir seu negócio e apostar suas fichas em Mato Grosso do Sul. “Quem deseja empreender pode apostar aqui no Estado. Aqui por exemplo temos este polo de celulose em Ribas e se alguém tiver uma ideia boa é muito válido colocar em prática na cidade, tem muita coisa ainda para se fazer e oferecer”.

Ribas do Rio Parto fábrica da Suzano - Foto Saul Schramm
Fábrica da Suzano em Ribas do Rio Pardo (Foto: Saul Schramm)

Além do polo de celulose em Ribas, novas oportunidades aparecem em todas as regiões do Estado, com a chegada da fábrica da Arauco (celulose) em Inocência, a implantação da rota bioceânica e as diversas cadeias produtivas em pleno vigor em diferentes cidades.

A decisão de manter o menor ICMS do Brasil não foi a única medida positiva do governador na área econômica, ele também construiu um cenário positivo no Estado para atrair novos investimentos privados e lançou um pacote de redução e isenção de tributos em diversos setores, que tiveram grande impacto nos pequenos e médios empresários.

Nesta lista entrou a erva-mate para o preparo do tradicional tereré, produtos como vinagre farinha de mandioca, farinha de milho e fubá e sabonete, se igualando na carga tributária de ICMS ao arroz e feijão, com uma redução (imposto) de 58%. Além disso, foram isentos desse imposto os produtos da hortifruticultura para a merenda escolar de associações de produtores rurais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *