Um grupo de 18 pesquisadores e universitários da Universidade Federal do Estado de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Estadual Paulista (UNESP) e Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), esteve em uma expedição científica por 9 dias no Parque Natural Municipal do Pombo, mantido pela Prefeitura de Três Lagoas, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agronegócio (SEMEA).

O objetivo da pesquisa, intitulada “Biogeografia e diversidade genética da herpetofauna dos domínios morfoclimáticos do Mato Grosso do Sul”, foi estudar a diversidade de répteis e anfíbios presentes na região. Durante a estadia dos pesquisadores, foram catalogadas 18 espécies de répteis e 22 espécies de anfíbios, incluindo avistamentos raros como o primeiro registro em MS do “Sapo Cururuzinho de Bolinha” a “Cobra Papa-minhoca” endêmica do cerrado, e o terceiro registro do “Calango de Barriga Estriada”.

Esses registros inéditos para a região, contribuem significativamente para o entendimento da biodiversidade local e do papel ecológico desses animais no bioma. A pesquisa realizada no Parque do Pombo será compilada em um artigo científico a ser publicado em breve, contribuindo assim para o avanço do conhecimento sobre a biodiversidade local e para a preservação desse importante ecossistema.

O Secretário Municipal de Meio Ambiente e Agronegócio, José Mauro De Grandi Junior, ressaltou as recentes melhorias feitas no Parque do Pombo, incluindo a inauguração do receptivo, que visa receber pesquisadores de todo o Brasil e do mundo com infraestrutura adequada, incluindo ambientes climatizados, auditório, internet e cozinha completa, além de equipe de apoio.

“Essas pesquisas são de extrema importância para a preservação da fauna e flora da região, e a Prefeitura de Três Lagoas está comprometida em oferecer suporte necessário para que esses estudos avancem e tragam benefícios para a sociedade”, destacou Mauro.

O professor e biólogo da UFMS de Campo Grande, Diego Santana, expressou sua satisfação com a estrutura do Parque do Pombo, afirmando que o apoio oferecido é fundamental para impulsionar pesquisas de qualidade. Ele elogiou a equipe de recepção no local, bem como o conforto e a completa infraestrutura do receptivo, convidando outros pesquisadores a visitarem o local e destacando a facilidade de acesso e a qualidade das estradas que levam ao parque.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *