Projeto leva saúde para animais e pessoas que vivem nos arredores do Parque Natural Municipal do Pombo

Acao-ICAS-Rural-5-scaled

Desde o último dia 18 de junho, a equipe do Instituto de Conservação de Animais Silvestres (ICAS) está conduzindo uma série de atividades focadas em saúde pública no Parque Natural Municipal do Pombo (PNMP). Esta ação é uma continuação do Projeto Tatu-Canastra, que acontece em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agronegócio (SEMEA), que visa investigar e melhorar a saúde de tatus, cães domésticos e humanos na região.

Nestes primeiros dias de ação,foram realizadas visitas às fazendas ao redor do PNMP, onde a equipe do projeto, composta por médicos veterinários, médicos e enfermeiros e representantes da SEMEA, coletaram material biológico e aplicaram exames clínicos em cerca de 100 voluntários.

O objetivo principal é a detecção de zoonoses como Hanseníase, Leishmaniose, Doença de Chagas, Toxoplasmose e Covid-19. Além disso, foram aplicadas vacinas antirrábicas e V8 (polivalente) nos cães domésticos da região, em parceria com o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Três Lagoas.

Os voluntários, todos residentes das fazendas próximas ao parque, passaram por uma avaliação clínica completa. Em casos onde houver a necessidade de exames adicionais, os voluntários foram encaminhados às unidades de saúde mais próximas. Este esforço é parte de uma iniciativa mais ampla do ICAS, que começou em 2010 no Pantanal da Nhecolândia, com o intuito de conservar o tatu-canastra e o tamanduá-bandeira, e que se expandiu para incluir a saúde de outras espécies e humanos, devido à relevância.

Compartilhe nas Redes Sociais

Outras Notícias

Banca Digital

Edição 218