Em quatro anos, índice de roubos cai pela metade em Campo Grande

Os investimentos do Governo do Estado e a eficiente gestão da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) resultaram na queda de 50,6% no número de roubos nos últimos quatro anos em Campo Grande. Em 2017 foram 7.475 ocorrências e os registros foram caindo ano a ano até chegar a 3.275, em 2020.

Em 2021, o índice também vem sendo positivo. No período entre janeiro a setembro deste ano foram registradas 2.119 ocorrências, revelando queda de 13,7% se comparado ao mesmo período de 2020, quando ocorreram 2.458 roubos em Campo Grande. Para o comandante-geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul (PMMS), coronel Marcos Paulo Gimenez, um dos fatores que contribuem para a redução nas ocorrências de roubo e proporciona a sensação de segurança à população é o Programa OCOP (Obtenção de Capacidade Operacional Plena).

O trabalho de repressão também soma na diminuição das ocorrências de roubo, segundo o titular da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF), delegado Giuliano Carvalho Biacio, que acrescenta que a quantidade de prisões em situações de roubo é praticamente diária. “A gente tem equipes operacionais diariamente nas ruas. O trabalho da DERF é pautado pela investigação. A gente começa com a análise dos boletins de ocorrências, as regiões onde estão ocorrendo mais crimes. A verificação da ocorrência de informações da mesma pessoa ou do mesmo grupo que está cometendo crimes em outras regiões, e passando por isso são deflagradas as operações, a repressão, o que acaba tirando eles de circulação e inibindo a ação dos demais”, disse.Lançado este ano pelo Governo do Estado, em Campo Grande, o OCOP aumentou de 17 para 48 o número de viaturas no patrulhamento ostensivo e a estratégia de atendimento à população também mudou. Coordenadas e monitoradas em tempo real, as viaturas foram distribuídas em 37 setores, tornando o atendimento mais ágil. “Aumentou o número de viaturas nas unidades de rotina, sem dizer as especializadas, o reforço do Bope, Choque, a Polícia Militar Ambiental trabalhando também em reforço. Então, para o serviço de rádio patrulha, nós mais que triplicamos o efetivo, tanto de viaturas, quanto do efetivo humano. Uma vez que nós adotamos essas providências, nós diminuímos o tempo de resposta para o atendimento das ocorrências e o principal foi, realmente, dar aquela sensação de presença do policial militar para a população e, principalmente, para os marginais que se sentindo vigiados não cometem os crimes e essa é a função da Policia Militar, o policiamento preventivo”, afirmou.

O secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Antonio Carlos Videira, reforça os investimentos do programa MS Mais Seguro, que injetou mais de R$ 160 milhões na segurança da população e destacou as ações adotadas pelas forças. “Houve capacitação, a contratação de novos policiais militares e agentes, também houve incremento na PM, na Perícia, na Polícia Civil, com a criação dos núcleos regionais de inteligência e a fomentação de políticas que buscam reprimir autores de roubos que antigamente praticavam crimes na via urbana e que migraram suas atividades para residências, uma vez que a polícia está mais presente na via urbana. Temos trabalhado para reprimir não só os roubos na via urbana, mas também aqueles que eram praticados no comércio e em residências e que também merecem uma atenção especial da nossa parte”, afirmou.

Interior

As cidades do interior do Estado também apresentaram queda no índice de roubos no comparativo de janeiro a setembro. Em 2020, nesse período, foram registradas 1.369 ocorrências enquanto em 2021 já foram 1.240, revelando queda de 9,4%.

 

 

Fonte: Governo do Estado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *