• Foi lançado na última quarta-feira (01), o Vale da Celulose – Ecossistema Local de Inovação, que aconteceu no Instituto SENAI de Inovação em Biomassa de Três Lagoas. A cerimônia contou com a participação do vice-prefeito Paulo Salomão e do secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (SEDECT).

    O projeto surgiu a partir de esforços conjuntos do Sebrae, em parceria com a Prefeitura por meio da SEDECT, Senai, Sest Senat, UFMS, IFMS, Fundect, Eldorado, Suzano, sociedade civil e empresários locais. No lançamento Andrei Golfeto, head de startups, ministrou a palestra “O ecossistema empreendedor brasileiro”.

    O PROJETO

    Foram identificadas algumas lacunas e necessidades de desenvolvimento tecnológicas para problemas de empresas locais, a partir de um mapeamento do estado atual de desenvolvimento tecnológico da região de Três de Lagoas.

    Com base no mapeamento foram definidas duas áreas prioritárias de atuação do ecossistema local de inovação “vale da celulose”. A primeira é a área de celulose, produção florestal e agronegócio e a segunda a área de automação, eletricidade e tecnologias de informação e comunicação (TIC).

    Frank Moraes, agente de desenvolvimento da SEDECT e que integrou a equipe de governança do “vale da celulose”, explica que um ecossistema de inovação tem a capacidade de potencializar a vocação econômica do município por meio da ação integrada de todas as entidades, empresas, centros de ensino e pesquisa, empreendedores do setor de tecnologia e lideranças responsáveis pela governança do ecossistema local de inovação. Desse modo, o objetivo do ecossistema de inovação “vale da celulose” é fomentar, estimular e apoiar o surgimento e o desenvolvimento de startups de base tecnológica, ou seja, empresas capazes de criar soluções baseadas na aplicação de tecnologias inovadoras como indústria 4.0, softwares, app, games, realidade virtual, drones, impressoras 3D, sensores digitais, robótica, biotecnologia, entre outras.

    O nome para o ecossistema de Três Lagoas foi definido pelos integrantes como “Vale da Celulose”, inspirado no “Vale do Silício”, famosa região da Califórnia nos EUA, que é reconhecida como um dos maiores polos de inovação tecnológica do mundo, sede de empresas como Google, Facebook, Netflix, entre outras.

    Paulo Salomão, vice-prefeito ressalta que Três Lagoas hoje já é reconhecida como uma das mais importantes cidades produtoras de celulose do mundo. “As maiores empresas do setor estão instaladas na cidade gerando milhares de empregos para nossa população. Ter um ecossistema de inovação no município contribui para que a cidade se desenvolva cada vez mais e a Prefeitura é parceira de todas essas iniciativas que visam contribuir com o desenvolvimento e com o futuro do município”, disse.

    Responsável pela SEDECT, Moraes destaca que a criação de um ecossistema de inovação em Três Lagoas constitui um novo patamar no avanço industrial e tecnológico do município. “Isso reflete os esforços da Administração Municipal em transformar Três Lagoas numa cidade cada vez mais desenvolvida sem perder o foco no desenvolvimento tecnológico, na sustentabilidade, na qualidade de vida e na geração de oportunidades de trabalho e renda para a população local”, enfatizou

    PRÓXIMA ETAPA

    A próxima etapa do” Vale da Celulose” é a implantação de um projeto de lei, que está em processo de desenvolvimento na Câmara dos Vereadores de Três Lagoas.

    O projeto de lei tem o objetivo de estabelecer as políticas públicas de Ciência, Tecnologia e Inovação, instituindo o Sistema de Inovação, o Conselho de Ciência, Tecnologia e Inovação e o Fundo de Apoio Municipal de Três Lagoas, conforme informou o os membros da governança do ecossistema local de inovação.

    Eles informaram ainda que os vereadores se mostraram inclinados a criarem uma lei destinada ao fomento da Inovação, como já ocorre em diversos municípios brasileiros.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *