• Dias antes de ser assassinada pelo namorado, Daniela Luiz, de 30 anos, pensou em registrar boletim de ocorrência contra o companheiro. Em mensagens trocadas com a melhor amiga, a vítima confessou que o relacionamento era marcado por desentendimentos e crises de ciúmes. (Veja imagens acima).

    Daniela foi morta pelo namorado com golpes de faca em Ribas do Rio Pardo (MS),na noite de quarta-feira (1º). O homem também matou o filho dela, Gustavo Luiz dos Santos, de 14 anos.

    Dias antes de ser morta, Daniela descreveu ara a amiga Janaína Alves que estava se sentindo sufocada pelo ciúmes excessivo do companheiro.

    “Falei que ia ao mercado comprar carne, você acredita que ele foi atrás vê se eu estava lá. É sufocante. Vou na delegacia, chega, esse cara não me respeita”, disse Daniela.

    Muito abalada, a tia da vítima, Zilda Bazilia da Silva, descreveu que após a relação de pouco mais de seis meses, Daniela se afastou da família.

    “A família toda está sem entender, todos chocados, apesar de já ter percebido que a Daniela tinha se afastado, mas não sabíamos o motivo. A Dani sempre foi presente, mas depois que conheceu ele [namorado] se afastou da família e não usava as redes sociais”, disse a tia da vítima.

    Os corpos de Daniela e de Gustavo foram enterrados, lado a lado, no Cemitério de Ribas do Rio Pardo, na manhã desta sexta-feira (3). Sob aplausos, lágrimas e cartazes, amigos e familiares se despediram das vítimas.

    Aos quatro anos, a filha de Daniela, também acompanhou a despedida. Testemunhas disseram que, após presenciar o assassinato da mãe e do irmão, a filha mais nova de Daniela saiu correndo desesperada e coberta de sangue pela rua onde morava, gritando: “Mataram minha mãe! Socorro!”.

    “Descanse em paz, Gustavão”, foi o pedido daqueles que ainda terão uma vida inteira pela frente, mas vão sentir a falta do amigo. De mãos dadas, outro grupo escreveu que o dia “amanheceu triste”, mas que o “céu está em festa por receber mais uma estrela”.

    85% dos feminicídios ou tentativas em MS são cometidos por atuais, ou ex-companheiros das vítimas
    ‘Possessivo e violento’: vizinhos descrevem assassino de mulher e filho de 14 anos no Mato Grosso do Sul

    Escapou da morte

    Janaina, melhor amiga de Daniela, contou a reportagem que foi a última pessoa a encontrar a família na quarta-feira (1), antes de João José cometer duplo homicídio a sangue frio.

    Segundo a mulher, no dia do crime, “ela passou a tarde com eles, e a noite, João e Daniela a ajudou fazer mudança, no momento, o autor ficou insistindo para ela ir para a casa de Daniela, para que todos ficassem juntos”.

    No entanto, Janaina conta que a amiga não deixou, disse que elas se encontrariam no dia seguinte. Mas João continuou insistentemente com o convite, mesmo Janaina recusando e optando por receber a visita da amiga, como foi prometido por Daniela. Agora, a melhor amiga da vítima entende que o objetivo do assassino era matar todos juntos.

    “Parece que ela estava sentindo que algo iria acontecer, não sei se ela sabia, mas ela não me deixou ir”, disse.

    Ameaças de morte

    Segundo a Janaina, há meses João José vinha dando sinais de que queria afastar a namorada da família e dos amigos. Inclusive, em abril, Janaina chegou a ser ameaçada por ele.

    “Eu estava ao lado dela e vi que ele começou a mandar mensagem. Ele falou: “eu vou matar essa ‘praga’, porque vocês ficam juntas demais”. Foi nessa hora que Janaina pegou o celular da amiga e começou a discutir com o suspeito para se defender do ciúmes excessivos.

    Em outro momento, João também tentou jogar o irmão gêmeo de Daniela contra a vítima. E ainda teve ocasião em que ele se passou pela namorada para conversar com o ex-marido dela, pai de Gustavo Luz dos Santos, de 14 anos, que foi morto junto da mãe.

    Fonte: G1

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *