• A ex-ministra da Agricultura, Tereza Cristina (PP), do Centrão, subiu dois pontos e manteve a liderança folgada com 35,1%, conforme a terceira pesquisa do IBP (Instituto Brasileiro de Pesquisa). O juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (PSD) está com 15%, seguido pelo ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (União Brasil) com 11,5%.

    O procurador de Justiça, Sérgio Harfouche (Avante), segue em 4º lugar. Já o professor universitário e advogado Tiago Botelho (PT) subiu duas posições e passou a ocupar a 5º colocação a dois meses da eleição. A pesquisa aponta o ex-prefeito de Costa Rica, Waldeli dos Santos Rosa (MDB) em 6º.

    Realizada com 2,5 mil eleitores de 8 a 13 deste mês, a pesquisa do IBP tem margem de erro de 2% para mais ou menos e nível de confiança de 95%. Os números do registro na Justiça Eleitoral são MS-07751/2022 e BR-04516/2022.

    Na espontânea, Tereza Cristina tem 24,10%, contra 8,30% de Odilon, 6,80% de Mandetta e 3,90% de Harfouche. Rose Modesto (União Brasil), mesmo não sendo candidata, foi citada por 2,70%, enquanto Simone Tebet (MDB) ficou com 2,40%.

    Em relação à pesquisa anterior, a deputada do Centrão passou de 23,50% para 24,10%, enquanto Odilon oscilou de 8,10% para 8,30%. Mandetta também teve ligeira subida, de 6,2% para 6,80%. Já Harfouche teve um leve declínio, de 4,70% para 4,90%. O levantamento aponta que houve aumento de indecisos e eleitores dispostos a votar em branco ou nulo de 48,40% para 50,80%.

    Já no cenário estimulado, a ex-ministra tem 35,10%, seguida pelo magistrado com 15%, pelo ex-ministro da Saúde com 11,50%, pelo procurador por 11,50%, pelo coordenador do curso de Direito da UFGD com 2,50%, pelo ex-prefeito de Costa Rica 2%, o empresário Jeferson Bezerra (Agir) com 1,90%, o candidato do PSOL com 0,20%, o publicitário Henrique Medeiros (PV) e Wilson Joaquim (PSC) com 0,10%. Brancos, nulos e indecisos somam 23,90%.

    Em relação aos levantamentos anteriores, Tereza manteve o crescimento, já que tinha 25,4% em maio e passou para 33,10% no mês passado, chegando, agora, a 35,10%. Juiz Odilon mostrou recuperação, passando de 14,20% para 15%, após registrar 17% há dois meses.

    Mandetta manteve o fôlego para ficar em 3º com 11,50%, contra 10,30% em junho e 10,20% em junho. Já Harfouche recuou em relação a junho, de 8,20% para 7,7%. Ele voltou a ter o mesmo percentual de maio, com 7,60%.

    O candidato a senador do ex-presidente Lula, Tiago Botelho chegou a 2,50%. O petista manteve o crescimento, já que tinha 0,40% em maio e passou para 1% no mês passado. Waldeli tinha 3% em maio e foi para 1,20% em junho. Agora, o candidato do MDB conta com 2%.

    O ex-ministro da Saúde é o mais rejeitado, conforme o IBP. De acordo com a pesquisa, 13,5% não votariam de jeito nenhum em Mandetta, enquanto 11,30% rejeitam o juiz Odilon. Tiago é citado por 8,40%, enquanto Harfouche fica com 6,80%, seguido por Waldeli com 4,90% e Tereza, com 3,70%.

    O levantamento mantém o favoritismo da candidata a senadora de Jair Bolsonaro. Tereza Cristina tem pouco mais de dois meses para manter a vantagem e conquistar a vaga de Simone no Senado. Ela conta com o apoio de Eduardo Reidel (PSDB), que está em 4º ou 5º nas pesquisas.

    Mandetta terá como primeiro desafio obter a aprovação do União Brasil, que fará convenção na próxima sexta-feira (22). Harfouche aposta no voto dos bolsonaristas e no eleitorado evangélico para subir nas pesquisas. Tiago Botelho tem apostado em Lula. Juiz Odilon conta com Marquinhos, que lidera os levantamentos, assim como Waldeli tem o ex-governador André Puccinelli como cabo eleitoral.

     

    Fonte: O Jacaré

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *