Após reunião com os representantes do Consórcio Guaicurus, o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo Urbano de Campo Grande (STTCU-CG ) decidiu dar início ao movimento de greve do transporte coletivo nesta quarta-feira (18).

Segundo Demétrio Ferreira, presidente do STTCU-CG, a paralisação foi decidida após os trabalhadores do transporte coletivo serem convocados para uma uma reunião com a diretoria do Consórcio Guaicurus.

“Hoje, eles deixaram claro que não não vão voltar a conversar e da maneira que está, não tem condições de assumir nenhum compromisso. Em cima disso a gente decidiu que amanhã vai fazer um movimento, a gente vai parar amanhã. A reunião de hoje foi para informar que o Consórcio não está aberto para negociação”, pontua Demétrio.

A categoria informa que a paralisação objetiva pressionar os representantes do Consórcio Guaicurus para que o campo de diálogo e negociação volte a ser estabelecido, a fim de que as demandas dos trabalhadores do transporte coletivo sejam atendidas.

João Resende Filho, representante do Consórcio Guaicurus, afirma que a empresa entrará com ação judicial para tentar evitar a paralisação.

“Estamos ingressando com medidas judiciais contra o sindicato visando a manutenção do transporte”, disse.

Demétrio conta que tem ciência que a paralisação afeta uma gama de pessoas mas que, todavia, o movimento grevista é necessário para a manutenção das demandas dos motoristas de ônibus.

“A gente não gostaria de estar fazendo esses movimentos de paralisação, até porque prejudica muita gente, não é a nossa intenção”, disse.

“Nas está bem claro que chegou já no extremo. Não tem mais como a gente ficar esperando a boa vontade do Consórcio a voltar a discutir. Então gostaria só de esclarecer para a população que não é a intenção da gente atrapalhar a vida de ninguém”, finaliza o presidente sindical.

Por dia, 120 mil pessoas utilizam o transporte coletivo na Capital.

Conforme o sindicato, reuniões foram feitas com o Consórcio Guaicurus para discutir sobre o reajuste, mas que as negociações foram paralisadas devido a indecisão a respeito do valor da tarifa para 2023.

Passagem a R$ 8

Conforme apurado pelo Correio do Estado, ano passado, em reunião com o Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul (TCE-MS), a Agereg havia informado que o valor da tarifa técnica de ônibus de Campo Grande estaria em quase R$ 8 (R$ 7,80).

O valor, segundo o diretor-presidente da autarquia, Odilon de Oliveira Júnior, traz esse acréscimo contratual de sete anos e também o aumento levando em consideração os índices utilizados no cálculo (inflação, índice de passageiros por quilômetro rodado, valor do diesel e valor do investimento em reparos na frota).

No entanto, Oliveira alegou que esse valor não deve ser o mesmo que será decretado pela Prefeitura de Campo Grande, mas não quis adiantar qual seria o novo valor, alegando que o cálculo não havia sido feito.

Saiba: A única coisa que a Prefeitura de Campo Grande já adiantou sobre o valor da passagem de ônibus é que o subsídio anual de R$ 12 milhões deve continuar, o que pode reduzir o valor da tarifa.

 

Fonte: Correio do Estado
Foto: Gerson Oliveira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *