A instalação de dispositivos metálicos de segurança ao longo da BR-262, no perímetro urbano de Três Lagoas, tem gerado uma série de reclamações por parte dos proprietários de estabelecimentos comerciais situados às margens da rodovia. A medida, adotada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) para aumentar a segurança na área, tem sido apontada como causa de prejuízos comerciais devido à dificuldade de acesso aos estabelecimentos.

O vereador DR. Issam Fares JR levantou o assunto na sessão ordinária da Câmara Municipal de Três Lagoas na última quinta-feira (15), após receber várias reclamações de comerciantes afetados pela instalação dos dispositivos. Segundo eles, a medida tem impedido o acesso de potenciais clientes, colocando em risco cerca de 440 empregos diretos, além de impactar negativamente os empregos indiretos gerados pelo comércio local.

A instalação dos dispositivos metálicos foi uma resposta do DNIT à alta incidência de acidentes registrados no trecho, inclusive com mortes, o que levou o Ministério Público Federal a abrir um inquérito exigindo providências. Milton Rocha Marinho, engenheiro do DNIT em Três Lagoas, explicou que a rodovia é estreita, o que inviabiliza a construção de rotatórias adequadas para veículos longos, como caminhões e bitrens. A solução encontrada foi restringir o acesso irregular por meio dessas barreiras.

Os comerciantes, por outro lado, sugerem alternativas como a instalação de redutores de velocidade ou a criação de vias de acesso alternativas para diminuir os prejuízos causados pela medida. No entanto, o engenheiro do DNIT ressalta que o Código de Trânsito Brasileiro não permite a instalação de quebra-molas em rodovias federais, e que tais medidas poderiam aumentar o risco de acidentes.

A situação evidencia um conflito entre a necessidade de garantir a segurança e a manutenção da atividade econômica local. Enquanto o DNIT e a prefeitura buscam soluções para conciliar esses interesses, os comerciantes locais aguardam por medidas que permitam a retomada plena de suas atividades sem comprometer a segurança na BR-262.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *